Gume Avatar

9 Notas

De génio. Um clássico instantâneo.

The War on Drugs - An Ocean In Between The Waves

Run away, I’m a travellin’ man
Been working every day
I watch you as you hesitate
Walking through the rain

I bet against the company again
Been trying to redefine
Everything that I know and love
Gotta know you’re mine, yeah

Feel the way that the wild wind blows through the room
Like a nail gun through the heart
That just don’t beat the same anymore
That might as well be gone

I’m in my finest hour
Can I be more than just a fool?
It always gets so hard to seem bright
Before the moon

Far away ma, there’s a black sun risin’ overhead
There’s a moon through the midnight rain
How can I surround myself in time and time again?
How can I be free?

Just wanna lay in the moonlight
See the light shine in, see you in the outline
It never gets too dark to find
Anybody at anytime

I’m at the darkened hillside
And there’s a haze right between the trees
And I can barely see you
You’re like an ocean in between the waves

5 Notas

Maratona musical no Magafest

No dia 6 de Setembro, a Casa independente, em Lisboa, recebe uma autêntica maratona musical, entre as 15 e as 2 horas, que junta JP Simões, Norberto Lobo, Bruno Pernadas, Nome Comum, Tiago Sousa, Memória de Peixe, João Lobo, NOZ², Gabriel Ferrandini e Não Simão.

O MagaFest é a consequência natural das mais de vinte MagaSessions, sessões onde músicos nacionais e internacionais apresentaram as mais diversas experimentações sonoras, ao longo de dois anos.

Agora, este festival celebra esse espírito informal, experimental e de proximidade entre músicos e público, com uma tarde/noite de música sem parar.

1 Notas

Timelapse no Singapore Changi Airport.

8 Notas

Das férias.

1 Notas

De 14 a 16 de Agosto, o Fusing Culture Experience está de volta à Figueira da Foz e promete, mais uma vez, transformar aquela cidade num dos locais de actividade artística e cultural mais apetecíveis do Verão.

A música é uma das principais atracções do evento, que apresenta um cartaz composto pelos nomes mais interessantes do actual panorama musical português.

Paus, Dead Combo, The Legendary Tigerman, Fachada, You Can’t Win, Charlie Brown, Capicua, Capitão Fausto, Salto, e muitos outros, parecem motivos mais do que suficientes para uma visita.

Depois, há ainda muita arte, gastronomia e desporto, para ver e experimentar nas mais de 100 actividades previstas.

A programação já está disponível para consulta em http://fusing.pt/doc/PROGRAMA%C3%87%C3%83O_FUSING_FINAL-01-c%C3%B3pia.png e deixa perceber um grande salto qualitativo em relação às edições anteriores.

O Fusing está a conquistar o seu espaço e a provar que há um novo ponto de interesse no roteiro de festivais do nosso país. E ainda bem que este marca pela diferença.

18 Notas

Aldous Huxley (Admirável Mundo Novo. Prefácio de 1946)

Aldous Huxley (Admirável Mundo Novo. Prefácio de 1946)

6 Notas

Fotografo para descobrir como é que uma coisa parece depois de ser fotografada
Garry Winogrand

6 Notas

A receita pode parecer improvável, mas esta coisa estranha de juntar o rock ao kuduro resulta mesmo. O disco Mambos de Outros Tipos é uma festa, é Throes + The Shine a aperfeiçoarem a fórmula do rockuduro, que os próprios inventaram.

Dois tipos absolutamente incansáveis na voz e um trio roqueiro que eleva o som da banda a um ritmo imparável apresentam-nos um disco com uma energia incrível e contagiante. Só lhe falta um aviso de NSFW (not safe for work) para evitar sermos apanhados a fazer do local de trabalho uma pista de dança.

Posto isto, ponham de lado os pré conceitos porque estão a ouvir gente a inovar na música portuguesa. Não sei se os Throes + The Shine vão deixar uma marca séria ou se vão passar por aqui de mansinho, mas tenho uma certeza: o que se ouve neste Mambos de Outros Tipos é novo e muito interessante.

Os Throes + The Shine são:
André do Poster - voz
Diron - voz
Igor Domingues - bateria e percussão
João Brandão - baixo
Marco Castro - guitarra e teclados